30 de maio de 2011

(Guest post Ana Death) Resenha - Diário de um Anjo, Mandy Porto ♥

Posted by Mandy Porto às 11:39 AM
        Bom, devo começar esta resenha dizendo que li o livro em menos de 48 horas, praticamente sem conseguir soltá-lo até a conclusão [que dá um gostinho de quero mais...]

        Apesar de ter acabado de dizer que o livro me deixou com aquela sensação de “quero mais”, isso se deu porque ainda há mais possibilidades de acontecimentos interessantes neste mundo criado pela Mandy, em que anjos e demônios caminham entre os mortais.

        Mas não esperem por um Apocalipse, e sim uma trama interessante que me fez matar um pouco a saudade de um dos seriados mais legais sobre as irmãs bruxas e os anjos, os Anciões... só que o livro da Mandy ainda conseguiu a façanha de deixar a linha entre o bem e o mal mais tênue, e não há o comum maniqueísmo dos personagens em si ― ao menos, não de todos, claro, pois todos os arquétipos estão presentes na obra, desde os vilões tipicamente vilões [cujos nomes não vou revelar para não estragar a história para vocês] até os mocinhos, claro. Mas até mesmo os “mocinhos” têm características humanas, ou seja, não são o tempo todos pregadores da paz e aquela chatice toda que vemos nos mocinhos tipicamente idealizados ao extremo.


        Já vi, obviamente, resenhas extremamente negativas sobre esse livro, assim como também vi que as pessoas que realmente gostaram da obra, gostaram muito. Eu que adoro quando temas dos quais eu gosto como anjos, demônios, bruxas etc. Aparecem numa obra de ficção de um jeito atraente para a leitura, me interessei pelo livro apesar de todas as resenhas negativas e me surpreendi, no bom sentido, claro.

        Sim, concordo com muita gente num ponto: A Novo Século marcou feio em não dar para o livro uma revisão mais apurada, assim como também não lançou o livro a tempo da Bienal do ano passado. O livro da Mandy merecia mais cuidado editorial e mais atenção por parte da editora.

        Vocês podem até se perguntar: “Mas Ana, eu sei que você é super exigente em relação a livros e...” A resposta é, sim, eu sou mesmo. Mas eu resolvi passar por cima do fato de que o livro poderia ter tido um cuidado melhor na revisão e resolvi lê-lo e digo: não me arrependi e amei a história.

        Porque a história é ótima. Eu desisti de outros livros [cujos nomes prefiro não citar para não ofender quem gostou deles] com temática de Anjos/YA por não acontecer nada durante vários capítulos. E “Diário de um Anjo” prende desde o começo. Os capítulos relativamente curtos são “page turners” e eu só consegui parar o primeiro “round” da minha leitura quando cheguei a um ponto da trama em que o primeiro arco da história era concluído.

        Eu gosto de tramas bem montadas, bem conectadas, com twists interessantes e uma abordagem não comum de temas sobrenaturais e para quem, como eu, também é fã de uma boa história sobrenatural/YA, “Diário de um Anjo” não pode ficar de lado.

        A trama mescla os anjos ― mais especificamente anjos da guarda ― com, inclusive, a existência de outros seres, como as fadas, não se limitando à mitologia cristã. Porém, quando a autora menciona elementos, tanto da mitologia cristã como de outras mitologias que já conhecemos, ela o faz dando uma boa impressão de ter feito uma pesquisa boa para lhe servir como base.

        Como ela mesma me confirmou, sim “Charmed” teve muita influência na criação da história, mas não esperem algo como uma cópia de “Charmed”, mas saibam que as homenagens estão lá, como na existência dos Anciões [Anjos-Anciões, como em “Charmed”, porém com o uso da nomenclatura da mitologia cristã dos anjos. A presença da fadinha em um momento muito legal da história também me fez lembrar de um episódio de “Charmed”, mas, e... vou contar só mais uma: tem até alguém na história com sobrenome Halliwell. Para quem não sabe ou não se lembrava disso, Halliwell é o sobrenome das irmãs-bruxas em “Charmed”.]



        É uma pena que os melhores momentos da história, os pontos realmente mais interessantes sejam extremamente spoilers, então eu vou falar, a seguir, e citar alguns trechos dos mais legais, mais belos e mais divertidos ― sim, temos momentos de sarcasmo, ironia, alegria, piada, mesmo quando se tem que lutar contra demônios tentando destruir a Humanidade, a Mandy consegue deixar o livro com um ar tão legal e cativante que vamos seguindo e nos importando com o que acontece com os personagens, pois até mesmo personagens secundários são relevantes e encantadores ― ou desprezíveis.

        Um dos pontos que mais gostei também foi a presença de bruxos-magos e não bruxas, como costuma ser costumeiro em sobrenaturais YA.

0 Comentários ♥:

Postar um comentário

 

Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos